Arquivo mensal: agosto 2012

Foca Livre #155

Edição 155 – julho de 2012

Clique na capa para folhear

Foca Livre #155

Anúncios

Concursos durante Secom premiam alunos de jornalismo

por Loise Clemente

Concursos de várias modalidades de produção jornalística ocorrerão durante a XXI Semana de Comunicação do curso de Jornalismo da UEPG. Interessados podem inscrever um trabalho por modalidade, que são reportagem, fotojornalismo, crítica e blog.  As inscrições acontecem entre os dias 24 e 28 de agosto.

Os trabalhos inscritos devem ser originais, individuais e produzidos somente por alunos, no entanto aceita-se produções com orientação de professores. Também não serão aceitos trabalhos desenvolvidos para instituições públicas e ou privadas. Podem participar alunos de jornalismo e comunicação de qualquer instituição de educação superior do país.

As inscrições nas quatro modalidades devem ser feitas diretamente na Secretaria do Curso de Jornalismo da UEPG, sem custo algum. O resultado será divulgado dia 31 de agosto no período da manhã. Apenas o primeiro colocado de cada modalidade receberá premiação.

Critério de avaliação dos trabalhos:

Reportagem: Qualidade e profundidade do texto, originalidade, multiplicidade de fontes, criatividade, correção gramatical.

Fotojornalismo: Aspectos jornalísticos e técnicos da imagem, criatividade, composição, enquadramento, originalidade.

Crítica: Qualidade do texto, argumentos e pertinência da análise, originalidade, responsabilidade ética.

Blog: Layout, qualidade das imagens, linguagem apropriada ao meio, recursos gráficos, atualidade e relevância temática.

‘Vai acordar a cidade’

por Laís Franco

O movimento feminista, conhecido como Marcha das Vadias, está na cidade. Esta semana, é promovidas oficinas, palestras, mostra de documentário, entre outros eventos, com o intuito de complementar e discutir sobre o movimento, bem como seu surgimento e repercussão. Para algumas integrantes da marcha, os eventos colaboram diretamente para a implementação do movimento na cidade. “Promovendo eventos, até para discutirmos sobre os direitos das mulheres, é importante para passar segurança aos demais participantes”, acredita Aline Cogo, representante da Marcha das Vadias.

Foto: Maykon Lammerhirt

Todos os que participam são considerados representantes do movimento. Eles apontam que a semana de eventos é preciso para mostrar o motivo pelo qual lutam. “Não estamos simplesmente buscando chamar a atenção. Nossa busca é ampla”, afirma Anita Fatel, também representante do movimento. Ela reforça que a intenção não é apenas marchas, mas trazer o debate sobre os direitos das mulheres, violência contra a mulher, entre outros temas.

Outra representante da marcha, afirma que a luta é pela igualdade de gênero. Ela vê que a participação dos cidadãos está grande. “A cada dia vemos que a participação aumenta. Isto é o que buscamos também, o maior número de participantes possível”, diz Ligiane de Meira.

Na última quarta (8), aconteceu a oficina de batucada. O foco era aprender as músicas que serão cantadas no sábado, dia que acontece a marcha no centro da cidade, bem como conhecer a batida da bateria da Atlética 31 de Março, dos cursos de Economia, Contábeis e Administração. Com ritmos de marchinhas, funk, ou até mesmo ensaio das palavras de ordem, a cerca de 40 pessoas que participaram da oficina se mostraram empenhados e dispostos a acordar a cidade no sábado, a partir das 10 da manhã.

Docentes da UEPG aprovam paralisação e indicativo de greve

por Raísa Jorge

Em assembleia realizada no dia 07 de agosto, no anfiteatro do PDE, Campus Uvaranas, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), docentes aprovaram a proposta que indica paralisação das atividades dos professores no dia 16 de agosto e indicativo de greve a partir do dia seguinte por tempo indeterminado.

Em fala durante a assembleia, a presidente da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg), Jeaneth Stefaniak, ressalta a importância de se decidir por um indicativo de greve e paralisação para ainda este ano. “Não podemos adiar mais, temos que exigir este um compromisso por parte do governo do Estado agora e deflagrar greve se necessário”, diz a professora.

Duas propostas para indicativo de greve entraram em votação, sendo a primeira: paralisação dia 16 e greve a partir do dia 17; e a segunda: paralisação dia 16 e greve a partir do dia 21. A primeira proposta venceu por 44 votos a 7, havendo uma abstenção. 60 professores assinaram a ata da reunião e 52 participaram da votação.

Rosângela Petuba, professora do Departamento de História da UEPG, é uma das docentes a se manifestar a favor da greve já a partir do dia 17. “Está claro o descaso por parte do governador Beto Richa para com os docentes. Greve já!”, diz Rosângela.

Outras universidades estaduais realizaram assembleias docentes entre ontem e hoje e como resultado UEL, UEM e UNIOESTE também deliberaram por paralisação dia 16, mas aprovaram indicativo de greve em datas diferentes, sendo UEM para o dia 21 e UEL para o dia 23.

Setor cultural e Agência de Jornalismo apresentam carta aos candidatos a prefeito

por Agência de Jornalismo UEPG

Uma Carta compromisso em defesa das políticas culturais de Ponta Grossa. Este é o objetivo do documento, elaborado pelo Conselho Municipal de Política Cultural, que será apresentado oficialmente aos candidatos a prefeito da Cidade, na quarta-feira, dia 8, a partir das 19 horas no Auditório B do Cine Teatro Ópera.

Durante o Fórum, integrantes do Conselho (CMPC) farão uma apresentação do documento, em seguida os candidatos a prefeito terão um tempo (de até cinco minutos cada) para falar sobre suas propostas de governo para a cultura, finalizando com a assinatura da Carta-Compromisso.

Para o encontro estão sendo convidados profissionais da área, artistas, empreendedores, estudantes, gestores e demais interessados em discutir a situação e os rumos das políticas culturais na Cidade. “Ponta Grossa é, hoje, uma das poucas cidades do Estado que conta com legislação atualizada, e um conselho autônomo na área cultural”, explica Rafael Schoenheer, representante do setor de música no Conselho Municipal.

Em três eixos, o documento apresenta os principais tópicos que sintetizam um retrato do debate cultural em Ponta Grossa, realizado nas Conferências e Fóruns de Cultura (entre 2005 e 2012), indicando as demandas setoriais, discutidas e aprovadas nos últimos anos e que atualmente envolvem ações em andamento na pauta no Conselho Municipal de Política Cultural de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. “Não tem nada de novo ou de problema, pois o documento é resultado das deliberações das conferências e do trabalho já realizado pelo Conselho Municipal na área”, explica Sérgio Gadini, representante do setor de literatura no CMPC de Ponta Grossa.

De acordo com os organizadores do Fórum, o documento, que é apresentado na forma de Carta-Compromisso em Defesa da Cultura de Ponta Grossa, visa unicamente assegurar a continuidade das políticas culturais públicas da área, que estão em total sintonia com as diretrizes estaduais e nacionais da Cultura (Conferência, Plano e Fundo de Cultura, bem como as ações junto ao Ministério e a Secretaria de Estado da Cultura).

“Este é um debate que já acontece em nível nacional e esperamos que todos os candidatos assumam a proposta”, diz Cirillo Barbisan, atual diretor de Cultura da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Evento: Fórum de Cultura
Apresentação da ‘Carta compromisso’ aos candidatos a prefeito de Ponta Grossa

Local: Auditório B do Cine Teatro Ópera
Data: quarta-feira, 8 de agosto
Horário: Das 19h às 20h30
Confira o texto da ‘Carta compromisso’ clicando aqui.

Marcha das Vadias promove semana de atividades de integração

por Raísa Jorge

No próximo sábado, dia 11 de agosto, a Avenida Vicente Machado e o Parque Ambiental serão palco de uma manifestação que ganhou proporções internacionais, a Marcha das Vadias. O protesto, que teve origem no Canadá em 2011, mas ganhou adeptos em todo o mundo, vai contra a violência contra as mulheres e em prol da igualdade de direitos entre gêneros.

O Estado do Paraná, segundo o Mapa da Violência feito pelo Centro Brasileiro de Estudos Latinos-Americanos, é o terceiro no ranking dos estados com maior homicídio de mulheres no Brasil. Por este estado, a Marcha já aconteceu em cidades como Maringá, Londrina, Jacarezinho, Guarapuava e na capital Curitiba. A manifestação acontece pela primeira vez em Ponta Grossa este ano e a comissão organizadora prepara uma programação para conscientização e interação entre os apoiadores da causa. A partir do dia 07 até o dia da Marcha, propriamente dita, acontece um circuito de palestras, oficinas, mostra de documentário e café comunitário, atividades estas que serão uma espécie de preparação para quem vai participar da movimentação no sábado.

A Marcha das Vadias conta com o apoio do Grupo de Estudos de Gênero e Mídia da UEPG, composto por estudantes e professores do curso de Jornalismo. A Professora Doutora Karina Janz Woitowicz, uma das coordenadoras e fundadoras do Grupo, foi convidada a mediar uma das atividades durante a semana da Marcha. Karina fará uma mostra de três documentários curtas-metragens sobre violência contra a mulher.

“Os documentários fazem referência a temas como aborto, violência física e psicológica contra mulheres. Inclusive uma das produções é fruto de um TCC de alunas de Jornalismo da UEPG, feito em 2005”, conta a Professora.

O Grupo de Estudos de Gênero e Mídia da UEPG também será responsável por emitir certificados on-line para aqueles que participarem das atividades no decorrer desta semana.

Confira a programação completa da Marcha das Vadias:

07 de agosto:
Palestra “Novas faces e novos desafios do feminismo contemporâneo” (Sebastião Nascimento)
9h – Auditório do Observatório Astronômico da UEPG, campus de Uvaranas (Avenida General Carlos Cavalcanti, 474)
Palestras “Novas faces e novos desafios do feminismo contemporâneo” (Sebastião Nascimento) e “Constituição da subjetividade Trans: a ratificação do discurso posto” (Antonio Marcos Quinupa)
19h – Grande Auditório da UEPG, campus Centro (Praça Santos Andrade)

08 de agosto:
Oficina de Batucada
19h, no Diretório Central dos Estudantes (DCE)

09 de agosto:
Café comunitário
19h – Sindicato dos Empregados no Comércio de Ponta Grossa (Rua Gal. Carneiro, 740). Cada participante deve levar um prato.

10 de agosto:
Mostra de curtas – mediação: professora Karina Janz Woitowicz
19h – Auditório do Observatório Astronômico da UEPG – Uvaranas
Documentários:
“À margem do corpo” (Direção: Débora Diniz)
“Uma história Severina” (Direção: Eliane Brum e Débora Diniz)
“Tinha que ser mulher” (Direção: Jodely Muniz e Josielle Caminha)

11 de Agosto:
Marcha das Vadias
10h – Concentração na Av. Vicente Machado